V CONGRESSO internacional do ENSINO,
PESQUISA E EXTENSÃO DA Universidade Católica Dom Bosco
Saberes em Ação

SABERES: Congresso contou com 58 oficinas em diversas áreas do conhecimento

Por: Carine Ferrari | Em: 26 out 2018


Durante o segundo dia do V saberes em ação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) foram realizadas 58 oficinas voltadas para diversas áreas do conhecimento.

Oportunizando o aprendizado dos acadêmicos em assuntos de seu interesse, as oficinas foram divididas entre palestras, debates e atividades práticas. Temas como " Ciência aplicada a perícia criminal: Cena de crime, laboratório Forense" e "A sociedade punitiva de Michel Focault" foram abordados nas salas de aula do bloco C da UCDB.

“Foi muito diferente de outras oficinas que já participei, pois teve muita parte prática e era uma área que eu sempre tive interesse. A oficina me ajudou a ter uma base de conhecimento muito grande”, comentou a acadêmica do 6° semestre do curso de Farmácia  Débora Paulino, que tem interesse na área de perícia criminal.

Já para Raylson Chaves, acadêmico do 6° semestre de jornalismo, participar da oficina sobre a Sociedade Punitiva de Focault foi muito interessante já que possibilitou entender um pouco mais sobre as relações de poder. “Já conhecia o trabalho do professor Jeferson e com sua fala de fácil compreensão, nos mostrou algumas considerações sobre o modo como convivemos em sociedade. Já que Focault entende dessas constantes tenções de relações que passamos”, explicou o acadêmico.

No bloco Biossaúde, os acadêmicos, Diovana Lorencetti, Carolina Domingos e Cesar Kohler, ambos do 8° semestre do curso de Medicina Veterinária da UCDB, junto com o professor Ricardo Martins Santos, ministraram a oficina "Perspectiva sobre a análise de risco na segurança dos alimentos".

“O objetivo era mostrar aos acadêmicos sobre a importância de conhecer os alimentos que vão consumir. Para  que aprendessem a comprar além da parte exterior de produtos, conhecendo assim a microbiologia do alimento, o que vai permitir se informar sobre as consequências de ingerir um produto que já passou da validade”, explicou Diovana.

Texto sob a supervisão de Gilmar Hernandes